Oftamologia

Acesse o currículo da Dra. Marcela Cypel e conheça mais sobre suas experiências na area da oftalmologia.


Retinopatia diabética


Marcela Cypel

A retinopatia diabética é uma das complicações do Diabetes Mellitus (DM) que acomete o olho, decorrente de alterações circulatórias como má perfusão e ou incompetência da parede, em especial, dos pequenos vasos (capilares).

No Brasil, estima-se que metade dos portadores de diabetes apresente retinopatia diabética, sendo responsável por 4,6% das deficiências visuais e 7,5% das causas de incapacidade de adultos para o trabalho.

A melhor forma de evitar a retinopatia diabética e suas manifestações mais agressivas é através de um bom controle do diabetes. Bom controle glicêmico desde o início da doença e não após apresentar complicações sistêmicas secundárias.

É frequente o paciente vir ao oftalmologista já no momento em que necessita de um tratamento o que logicamente pode ser feito, mas estaremos correndo atrás de um processo que já tem um estímulo crônico anterior, ou seja, controlar os níveis glicêmicos a partir deste ponto irá ajudar muito menos do que se tivessem sido rigorosamente controlados nos anos anteriores. O DM é uma doença de acometimento lento e progressivo muitas vezes silencioso e por isso requer cuidados.

A retinopatia diabética pode acometer tanto pessoas com Diabetes do Tipo I como do Tipo II, praticamente, todos os pacientes depois de cerca de 20 a 30 anos do início da Diabetes apresentam alguma alteração na retina. Trabalhos mostram que também existe um fator genético predisponente que favorece o aparecimento de maiores complicações sendo o meio hiperglicêmico crônico o fator desencadeante para o aparecimento das alterações.

Atualmente a retinopatia diabética é classificada como proliferativa ou não proliferativa podendo qualquer uma destas duas formas ser acompanhada do edema macular (existem subtipos dentro da classificação). Normalmente o seu aparecimento ocorre em diversos níveis de gravidade: desde pequenos sinais identificados no exame de fundo do olho sem sintomas visuais até sinais floridos na retina vistos no exame de fundo do olho acompanhado de sintomas visuais, como baixa visão e ou objetos tordos ou borrados e ou manchas escuras no campo de visão.

O acompanhamento oftalmológico incluindo o mapeamento da retina (exame do fundo do olho) é realizado sob dilatação pupilar e deve ser feito 1 vez por ano tanto para "DM tipo I" como para o "tipo II' se o paciente bem controlado sistemicamente, com os níveis glicêmicos estáveis, com alterações no fundo do olho (retina) sem grande significância e ou risco.

Caso contrário o oftalmologista irá orientar o paciente a regressar em períodos menores para reavaliação, em alguns casos pode-se fazer acompanhamentos semestrais, trimestrais ou até mensais.

Exames complementares como a angiofluoresceinografia (exame com uso de contraste intravenoso) ou a tomografia de coerência óptica permitem identificar ou acompanhar detalhadamente a retinopatia.

O tratamento da retinopatia diabética quando necessário inclui aplicação de laser na retina ou injeção de medicações intraoculares, os quais, na maioria dos casos necessitam ser realizados mais de uma vez.

Importante esclarecer que o diabetes não causa apenas a retinopatia diabética no olho, mas também pode predispor ao aparecimento de catarata e causar oscilações na graduação da miopia ou hipermetropia do paciente. Esse último fator requer atenção, pois não é recomendado que um diabético renovasse o grau de seus óculos se a sua diabetes estiver descompensada ou em níveis muito altos.





Clínica de Oftalmologia e Neurologia da Infância e Adolescência

Rua Pais Leme, 524 - 13º andar - Cj: 133 - Pinheiros - São Paulo - SP - CEP: 05.424-010

Realizamos atendimento e tratamento oftalmológico de: Ametropias (Miopia, Hipermetropia e Astigmatismo), Blefaroplastia, Catarata, Ceratocone, Cirurgia refrativa, Conjuntivite, Crosslink, Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), Descolamento do Vítreo, Glaucoma, Injeções Intraoculares, Lente de contato, Maculopatias, Mapeamento Retina, Moscas Volantes, Oftalmogeriatria, Oftalmopediatria, Olho Seco, Retinopatia Diabética, Toxina Botulínica (Botox®), Toxoplasmose, Transplante de Córnea, Uveíte, Vias Lacrimais, Visão Subnormal e outros.

Realizamos atendimento e tratamento neurológico de: inquietude – hiperatividade, agressividade, dificuldades na aquisição de leitura e escrita, dificuldades atencionais, dificuldades na Linguagem (Fala), autismo, atrasos no desenvolvimento, epilepsias, paralisia cerebral, cefaleias, alterações do sono.



ATENÇÃO
** As informações acima colocadas tem caráter apenas informativo; não devendo ser generalizado para todo paciente e não dispensando o exame médico oftalmológico para diagnóstico e orientação do tratamento a ser realizada em cada caso.
* As imagens deste site são meramente ilustrativas.

A Clínica de Oftalmologia Cypel está localizada em Pinheiros e próxima do Jardins, Jardim Paulistano, Jardim América, Vila Madalena, Jardim Europa e Sumaré. O acesso até a clínica pode ser feito através das principais vias da região, como Av. Brigadeiro Faria Lima, Av. Rebouças, Av. Brasil ou pela Marginal Pinheiros. Veja como chegar até a clínica de Oftalmologia através do Google Maps

Assessoria de Marketing para clinicas